“Para o infinito e mais além”

Posted in Jane Austen! by Sara on 27/07/2011

Um breve suspiro, nada mais. O suficiente para quebrar um silêncio que durava há tempo demais, mas tarde demais. Uma só palavra e todas as minhas certezas caem por terra, abruptamente – em vão. Nada mais há para mudar; construímos barreiras e traçámos rumos – diferentes, paralelos. Perdemo-nos um do outro com mais facilidade do que nos encontrámos. Num sonho, talvez. No mais belo dos sonhos que alguma vez tive: tu.

Somos o que não somos. Somos todas as palavras que ficaram por dizer. Somos todos os momentos que ficaram por viver. Somos o tempo para além do próprio tempo. Somos isto tudo e no fim de contas não somos nada. Porque não ficou nada. Porque talvez nunca tenhamos tido nada mais que nada. E, no fim – por fim – não teremos tido tudo?

Dois breves suspiros, um pouco mais. Frente a frente, já sem nos vermos. Os teus olhos já não são os meus, o teu toque já não é o mesmo toque. Porque já não temos nada para dar um ao outro. Amor, já demos tudo – e o que demos ficou espalhado pelas ruas, pelo tempo, pelo mundo. Porque o mundo foi nosso, um dia.

Um último adeus, enfim, bem o sabemos. As nossas vidas nunca nos pertenceram, como as poderíamos dar mutuamente? Não fomos mais que peças incompletas. Não fomos mais do que fomos – e isso não chegou. Amor, chamar-te-ei amor enquanto durares, porque só nós sabemos que durarás eternamente. Amor, serás sempre a recordação que mais quis que fosse verdade. Pela primeira vez. Para sempre.

Anúncios

14 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. Joana said, on 28/07/2011 at 11:28

    Tá tão profundo 🙂 tu realmente nao lhe perdes o jeito prima ..
    e a musica, hmmm 🙂

  2. Elsa said, on 28/07/2011 at 14:33

    Gosto, como sempre muito bem escrito 🙂

  3. Joana said, on 30/07/2011 at 12:45

    UAU. ok, UAU! “Somos o que não somos. Somos todas as palavras que ficaram por dizer. Somos todos os momentos que ficaram por viver. Somos o tempo para além do próprio tempo. Somos isto tudo e no fim de contas não somos nada”. No fim de tudo somos apenas os sonhos que se desvanecem em nada…

    beijinhos 🙂 (e gostei que tenhas reaparecido!!)

  4. Sara said, on 30/07/2011 at 13:13

    obrigada 🙂

    o bom filho à casa torna eheh

  5. CatariinaS said, on 31/07/2011 at 12:59

    obrigada querida 🙂

  6. jorge madureira said, on 05/08/2011 at 17:34

    Sara: O Amor é como uma planta no jardim! Precisa de ser cuidado todos os dias, “regado” com as nossas cumplicidades, mantendo a chama intensa, por pequenos gestos, alguns poderão ser menos românticos, mas que se revelem oportunos, em função do que vivenciarmos… senão, fenece disso não tenhas dúvida! Amor para sempre é enredo de novela!
    Foi bom (re)visitar-te.
    Um bom fim de semana!
    Jorge madureira

  7. ri said, on 06/08/2011 at 22:06

    lindo….
    obrigado eplo teu comentario
    beijo *.*

  8. happii said, on 07/08/2011 at 21:16

    Pois é 😡

  9. Minkah said, on 30/08/2011 at 13:29

    “Amor, serás sempre a recordação que mais quis que fosse verdade. Pela primeira vez. Para sempre.”

    *Speechless*

    Beijinho


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s